Condutores viram a noite em postos para aproveitar gasolina a R$ 3,50 em Teresina

Facapi

Condutores de Teresina passaram a noite acordados dentro de seus carros, e enfrentaram longas filas em postos de combustíveis, para abastecer com o preço do litro da gasolina comum a R$ 3,50 nesta quinta-feira (14).

Após sucessivos reajustes no preço em 2021, o valor chega a R$ 6,99 em Teresina. Conforme a Agência Nacional do Petróleo, o valor na capital é o segundo mais alto do país, atrás apenas do Rio de Janeiro, onde o valor ultrapassa os R$ 7,00.

O abastecimento iniciou por volta das 5h da manhã, quando os postos abriram. Em um dos locais, que fica no bairro Parque Piauí, Zona Sul de Teresina, o gerente informou que ao chegar já encontrou uma fila com pelo menos 400 carros

VEJA TAMBÉM | Homem é morto com tiros a queima roupa no Bairro Matadouro em Campo Maior

A quantidade de gasolina vendida foi limitada para cada um dos cinco postos e de apenas 15 litros por veículo. No posto mencionado, o combustível acabou por volta das 8h, mas o posto distribuiu 300 senhas e os condutores que receberam o número continuavam na fila aguardando sua vez.

Dia Livre de Impostos

O Sindicato dos Postos Revendedores de Combustíveis do Piauí (Sindipostos) informou que a venda acontece em cinco postos nas Zonas Leste, Sul e Norte da capital e o objetivo é informar e conscientizar os condutores sobre o peso dos impostos no valor dos combustíveis.

Segundo o Sindicato, o valor de R$ 3,50, cerca de 50% menor que o valor vendido atualmente na capital, seria o valor sem o custo dos impostos repassados ao consumidor.

“Queremos conscientizar e levar as informações até o consumidor sobre o quanto de carga tributária temos no combustível”, disse o coordenador executivo do Sindipostos, Anorcil Andrade.

Sobre Teresina ter a gasolina mais cara do país, segundo o Sistema de Levantamento de Preços da Agência Nacional do Petróleo (ANP), o Sindipostos diz que vários aspectos influenciam no valor final do combustível.

“Temos a alíquota do ICMS, frete fluvial de São Luís, depois o transporte ferroviário ou rodoviário até Teresina, que geram um imposto maior. Na capital, ainda pagamos o frete para levar o combustível até os postos. São fatores que interferem no preço final do produto”, explicou.

FONTE: G1 PI