Saúde promove treinamento e capacitação para o enfrentamento e combate à Hanseníase em Campo Maior

Facapi

Visando o enfrentamento e combate à Hanseníase, a Prefeitura de Campo Maior, através da Secretaria Municipal de Saúde, promoveu nesta terça-feira (16/11), a abertura do Projeto ‘Enfrentamento à Hanseníase no Estado do Piauí’, realizado por meio de uma parceria entre os municípios e a Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), Ministério da Saúde e Universidade Federal do Piauí (UFPI).

O curso, que conta com aulas teóricas e práticas, será realizado até a próxima sexta-feira, dia 19, no auditório da Secretaria Municipal de Educação (Semed) e será ministrado pelo médico e dermatologista/hansenólogo Dr. Marcos Andrey Cipriani Frade. O treinamento e capacitação em Hanseníase é voltado para profissionais da Saúde das Estratégias de Saúde da Família (ESF) e Núcleo Ampliado de Saúde da Família e Atenção Básica (NASF).

Estiveram presentes na abertura das atividades a secretária de Saúde de Campo Maior, Dorilene Vidal; a coordenadora de Hanseníase e Tuberculose, Michelle Santos Macedo; a gerente de Atenção Básica, Gisele Ibiapina; os médico dermatologistas do Centro de Especialidades Enf. Dorivânia Vidal Neiva, Dr. Wellington e Dr. Alexandre e a enfermeira Lorena Vasconcelos, além de representantes da Sesapi e outros profissionais da saúde.

“Com este curso, pretendemos treinar e capacitar profissionais da saúde como médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e outros especialistas para que se sintam seguros em fazer e fechar o diagnóstico da doença e poder conduzir o tratamento. A Hanseníase é uma doença contagiosa que pode, inclusive, levar ao surgimento de incapacidades físicas com gravíssimas sequelas.”, explicou a secretária de Saúde, Dorilene Vidal.

De acordo com o dermatologista, Dr, Marcos Andrey, a Hanseníase ainda é uma doença negligenciada no Brasil: ” Raramente é discutida nas escolas e pelas famílias e isso colabora para aumentar o número dos doentes. Muitos nem sabem que estão doentes, pois é uma enfermidade de difícil diagnóstico, principalmente nas formas iniciais. Por isso, é fundamental que as pessoas estejam sempre atentas, prestando atenção ​na pele​, avaliando sua sensibilidade​ e a presença de manchas.​”, alertou.

Hanseníase

A hanseníase é uma doença dermatológica não hereditária causada pelo bacilo de Hansen, um parasita que ataca a pele e os nervos periféricos, podendo, porém, afetar outros órgãos como fígado, testículos e olhos. Manchas dormentes de cor avermelhada ou esbranquiçada, em qualquer região do corpo, são os primeiros sintomas, assim como caroços, inchaços, placas, fraqueza muscular e dor nas articulações, e seu diagnóstico tardio pode levar ao surgimento de incapacidades físicas, pois os nervos ficam comprometidos, ocasionando deformações nos dedos e nariz, e impedindo movimentos como o abrir e fechar das mãos. A falta de sensibilidade ao calor/frio, tato e dor torna-se também um risco, facilitando que determinados acidentes ocorram.