Câmara irá investigar supostas irregularidades em contrato com empresa de iluminação pública em Campo Maior

667 0

O plenário da Câmara Municipal de Vereadores de Campo Maior aprovou a criação de uma Comissão Especial para investigar supostas irregularidades na Parceria Pública Privado (PPP) da iluminação pública de Campo Maior. Há suspeita de erros no contrato, valores abusivos e não execução dos serviços previstos no ato da contratação.

O criação da comissão foi um requerimento do vereador Neto dos Corredores (Republicanos), que apontou falhas no processo legislativo realizado no ano de 2013 e que aprovou a PPP. Ele declarou que a empresa recebe mensalmente R$ 270 mil da Prefeitura de Campo Maior e não presta um serviço de acordo com o texto aprovado no Poder Legislativo.

VEJA TAMBÉM | Wellington Dias estende toque de recolher até 15 de março no Piauí

“Essa Casa fez um procedimento administrativo e constatou vícios na aprovação que autorizou a PPP. Hoje temos uma PPP trabalhando em nosso município, levando o recurso de nossa população, taxa de iluminação altíssima, o município sem condição de gerir porque está entregue na mão dessa empresa. E a atuação dessa empresa está sob uma liminar. Campo Maior não merece isso”, disse Neto dos Corredores na tribuna da Câmara.

A Comissão Especial foi criada pela mesa diretora com os vereadores Neto dos Corredores, Manin Pereira, Antônio Wilson e Zacarias Neto (suplente). A formação recebeu aprovação unânime do plenário e deve iniciar os trabalhos nos próximos dias. Um relatório será produzido durante as investigações e será encaminhado ao Poder Executivo.

“A Concip leva hoje mais de R$ 250 mil por mês para fazer o que?”, questionou o presidente da Câmara, vereador Sena Rosa (Progressista). “Nós temos que tomar as providências necessária para regularizar essa sangria dos recursos de Campo Maior e, ainda digo mais, lavados em Campo Maior”, afirmou o parlamentar.



WhatsApp


Related Post

close